quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Motricidade


A vida de Herbert Vianna e a deste texto se encontram a partir do dia 4 de Fevereiro de 2001, após o acontecimento na baía de Angra dos Reis. Herbert, um famoso cantor e compositor paraibano, será nosso instrumento para o auxílio em nossa tentativa de compreensão sobre a nossa produção de movimento. Nos acontecimentos daquele dia, Herbert perdeu sua esposa, entrou em estado de coma, perdeu parte da memória e sua medula espinhal sofreu uma grave lesão (condição denominada de Paraplegia).

No momento em que eu queria ver
      O segundo que antecede o beijo
A palavra que destrói o amor
Quando tudo ainda estava inteiro
No instante em que desmoronou

A Paraplegia é a paralisia das pernas decorrente de lesões na medula espinhal em uma área relativamente baixa. Ao longo do texto não abordaremos as circunstâncias que levaram ao acidente com Herbert e sua esposa. Abordaremos, é verdade, as circunstâncias para a formação do movimento. Como se realiza esse processo do movimento? Como nos movemos?

E cada segundo, cada momento, cada instante
É quase eterno, passa devagar
Precisamos entender que a composição da organização do controle do movimento é hierárquica, embora seja simultânea. O cérebro inicia o processo para que o movimento seja realizado. As regiões motoras do lobo frontal são responsáveis pela avaliação dos planos de ação, organização da seqüencia de movimentos necessários e da produção de movimentos específicos. O tronco encefálico é o responsável pela postura, locomoção e movimentos típicos da espécie (compreendemos agora a importância desta região que foi afetada em Herbert).

Palavras duras em voz de veludo
E tudo muda, adeus velho mundo
Há um segundo tudo estava em paz

Após a medula espinal leva a mensagem para a região escolhida para executar o movimento através dos neurônios motores. São os neurônios sensoriais que encaminham a mensagem para o córtex sensorial informando que o movimento inicial foi realizado. Antes de chegar à informação no córtex, os gânglios basais medem a força de preensão e o cerebelo corrige os prováveis erros no movimento. Além do fator de correção, o cerebelo regula tratos descendentes mediais e laterais, ligados às musculaturas axiais, proximais e distais dos membros.

Se tudo tem que terminar assim
Que pelo menos seja até o fim

Nenhum comentário:

Postar um comentário