quarta-feira, 20 de maio de 2009

Free Maísa - O que você acha?

O texto abaixo é de Bruno Medina. Está no seu Blog da Globo.com., e é sobre o tema final da minha última postagem.

"Enquanto a menina sagrava-se campeã de hits na internet, seu patrão, dono do Baú e de um aguçado tino para farejar os rastros da audiência, percebeu o quanto poderia se valer do “fenômeno” Maisa. Ao seu lado no palco ela atrai todas os olhares e disfarça os efeitos abrasivos que incidem na desbotada cabeleira acaju de Silvio, há décadas ininterruptas presente nos lares brasileiros. Aos domingos, tornaram-se tradicionais as sabatinas aplicadas à pupila, assim como o hábito de submetê-la a debates improdutivos e inapropriados para quem mal fora introduzida às letras.

Nos últimos dois encontros o protocolo parece ter mudado. Em ambas as ocasiões Maisa saiu de cena aos berros, deixando para trás o reconhecido profissionalismo, na busca desesperada pelo colo da mãe. Seria este um sinal de alerta? Primeiro apavorou-se com um menino fantasiado de monstro, depois ressentiu-se do pito que Silvio sapecou-lhe por ter se portado como “um bebê” na semana anterior. As ocorrências despertaram a atenção dos órgãos responsáveis, tanto que a atração agora encontra-se na berlinda do Ministério Público, ameaçada de sair do ar.

O desfecho do caso é promessa de polêmica como, alias, costuma ser característico dos episódios que envolvem o veterano comunicador. Só espero que os responsáveis ponderem com seriedade sobre a questão, e considerem a possibilidade de Maisa estar, a seu modo, pedindo socorro. Quem sabe as atribulações da vida artística, iniciada tão cedo, estejam pesando demais? E depois, o que virá? Que papel caberá à Maisa se amanhã descobrirem um engolidor de bolas, tacos e mesas de sinuca, ou um cachorro que cante músicas do Roberto Carlos? Mesmo que nada disso aconteça, será que Silvio ainda terá interesse em chamá-la para conversar quando as madeixas crespas, as espinhas e o corpo espichando perverterem sua aura infantil?

É por estas e outras que não me oporia a quem porventura defendesse sua aposentadoria imediata. Bem-vinda seria a sentença que a destinasse a brincar e estudar apenas, como todas as outras crianças; e que assim lhe sobrasse tempo para namorar o menino mais piolhento da classe, para cair de roupa na piscina durante a excursão da escola ou mesmo para ser gordinha, grudar chiclete no cabelo e se interessar por ciências, almejando no futuro se tornar veterinária. Qualquer coisa seria preferível a um dia vê-la sentada no sofá de um programa vespertino mostrando cenas do próprio parto ou contando detalhes íntimos sobre a mais recente separação.

Pelo sim, pelo não é que lanço aqui a campanha: Free Maisa! Já!"

Informações:Bruno Medina é músico da banda Los Hermanos e escritor nas horas vagas. Nascido no Rio de Janeiro, formou-se em comunicação pela PUC-RJ.


Dê sua opinião.

2 comentários:

  1. Eu concordo com a campanha: "Free Maisa, Já!". A Maisa deveria curtir mais a sua infância, se ela tem talento para TV devemos esperar mais um pouco. Para que depois não se torne mais uma pessoa esquecida nos arquivos da TV! Quem não lembra do Balão Mágico, do Trem da Alegria, dos garotos DDD, dos ajudantes do Bozo e várias outras crianças que eram sucesso nos anos 80 e 90 e que hoje não passam de apenas mais um rosto na multidão?


    PS: Isso sem falar nos Menudos e Dominó!kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir